quarta-feira, 15 de novembro de 2017

ABOUT: COMO ESCOLHI O CURSO DE LETRAS - INGLÊS

As aulas estão finalmente acabando, e eu decidi que não haveria nada mais justo do que fazer um post aqui contando um pouquinho sobre o meu curso, e principalmente sobre como fiz essa escolha super difícil. Sei que é um dos momentos mais assustadores da vida quando temos que tomar uma decisão sobre qual curso fazer na faculdade, por isso decidi compartilhar um pouco da minha experiência com vocês. Pra mim não foi nada fácil, e o meu caso é a prova de que podemos mudar de opinião e de planos para ir atrás do que de fato queremos. 

  • VIDA ESCOLAR: Estudei minha vida inteira na escola mais monótona que vocês podem imaginar. Nunca acontecia nada demais, havia apenas uma turma para cada série e todo mundo se conhecia. Não era uma escola barbada, mas também não poderia ser considerada uma escola "puxada", eu sempre me saí super bem. Tirava altos 10 10 10 10 10 no boletim e confesso que nem fazia tanto esforço assim. Estudei lá até o segundo ano do Ensino Médio, quando decidi ir para a tal escola mais "puxada" e tomei O LAÇO!!! Essa escola era diferente e preparatória pro vestibular, e só tinha turmas de Ensino Médio. Ir pra lá no terceiro ano foi uma péssima ideia porque eu peguei o bonde andando. Vários conteúdos que eu nem havia aprendido ainda, os profs só revisavam. Resumindo: foi um pouquinho traumático, foi... mas como sou a cdfzinha que sou, acabei passando sem muitas recuperações, mas tive um ano extremamente estressante. E pra piorar eu ainda tinha que decidir: qual o fuckkkking curso que eu queria.

  • PUBLICIDADE E PROPAGANDA: Desde a oitava série eu já meio que sabia o que eu queria pra minha vida: trabalhar com cinema. Eu estava sempre antenada sobre todos os assuntos de filmes, adorava montar vídeos, ficava escolhendo músicas para trilhas sonoras e adorava escrever scripts (bons tempos que eu escrevia com a mesma naturalidade que durmo). Eu não tinha dúvidas que era aquilo que eu queria, e o curso que mais se aproximava disso na federal era PP. Fiquei anos anos anos com isso na cabeça e sem tentar considerar outras opções. Já estava dando aula como bico e as pessoas me dizendo que eu deveria estudar pra me formar prof e eu fechava os ouvidos e fazia "la la la la"... Teria poupado tempo se tivesse escutado aquela vozinha lá no fundo do meu subconsciente. MAS OK... tudo tem seu tempo. Fiz meu vestibular pra PP, não passei obviamente, e tirei um gap year pra começar a dar aula de verdade... 

  • TEACHER? EU? Quando eu tinha 8 anos, meus pais fizeram um acordo comigo e com a minha irmã: ela me ensinaria Inglês e ganharia 50 pilas por mês, e eu aprenderia sem chiar e levaria 30 pilas pra comprar revistinhas de rebelde. Trato é trato né pessoal? Não vou mentir pra vocês que quase sempre dava alguns arranca rabos, porém toda a base que tenho de Inglês aprendi com minha querida irmã... a mesma que me deu a chance de trabalhar pela primeira vez como teacher quando eu tinha 14 anos. Comecei muito cedo e quanto mais ensinava, mais aprendia. Minha irmã me mandava para dar aulinhas pra crianças, mas nessa brincadeira toda (que eu sempre levei muito a sério e que na verdade sempre foi BEM SÉRIO) eu já estava ganhando salário e até com carteira assinada. Até terminar o colégio eu lecionava tipo 18 horas por mês, aí quando eu tirei o gap year cheguei a dar 90 horas de aulas por mês. Abracei esse trabalho com todas as minhas forças e não sabia mais pensar em outra coisa. Perdi totalmente aquela visão que a maioria das pessoas tem sobre profs não serem valorizados e vi um outro lado dessa história, um lado que me interessava muito... um lado que eu admirava, que eu queria pra mim. No final de 2015 fiz o vestibular da PUCRS pra Letras - Inglês e passei... e cá estamos nós hoje: dando aula o dia todo e dormindo na aula a noite hahahah brincadeira!!! Confesso que pode ficar bem puxado, mas vale a pena! E eu sou extremamente apaixonada pelo meu curso! Toda noite que vou pra aula só saio de lá com mais certeza de que fiz a escolha certa, e não há nada mais gratificante que isso.

No próximo post vou contar como é o meu curso e porque eu sou tão apaixonada por ele. Também vou falar sobre as portas/janelas/passagens secretas que a faculdade abre/arromba pra quem está estudando lá. É um universo de possibilidades que, antes de ingressar, nós não temos nem noção. Espero que tenham gostado do post. É um pouco difícil compartilhar coisas muito pessoais, mas a intenção é ajudar quem está passando pelo momento difícil de escolha de curso. Também espero ter ajudado de alguma maneira. Até o próximo post :) 

domingo, 12 de fevereiro de 2017

I AM NOT READING ENOUGH - LIFE UPDATE AND FEBRUARY TBR

Por favor alguém me dá essa camiseta pra eu usar toda dia que eu não ler???

Hi guysss!!! Vim aqui fazer uma pequena life update pra vocês. Tenho estado muito ausente ultimamente, não só aqui do blog, mas também da minha vida de leitora. Não existe nenhum motivo específico, mas eu não tenho estado muito motivada pra ler. Talvez seja por conta da grande expectativa de ler milhares de livros nas férias, ou porque Grey's Anatomy parece muito mais interessante na maioria das vezes #malditashondarhimes. Eu sei que não existe desculpa pra minha falta de disciplina com meus livros, por isso estou sendo bem honesta em dizer que tempo não é o problema. Não estou de férias no trabalho, mas como trabalho como professora particular, acabo tendo pouquíssimos alunos nessa época do ano, então estou com bastante tempo livre. Inclusive, já estou aproveitando para resolver coisas que jamais conseguiria fazer de Março a Dezembro, como exemplo: fazer auto escola. Tirar a carteira é um processo que leva tempo, mas pode deixar que aviso vocês quando terminar, para que não saiam de casa a partir de então. #danger
Esse período de férias acabou passando mais rápido do que eu estava esperando, mas ainda tenho pouco menos de um mês. Minhas aulas na faculdade voltam só na semana depois do carnaval, então ainda posso planejar, né? Acho justo fazer uma "lista" de livros que quero terminar de ler até o final do mês. Não sei como vou me sair, mas prometo que vou me esforçar, e quando terminar postarei as resenhas aqui. 
1 - After you, Jojo Moyes: desde que terminei "Me before you" (Como eu era antes de você) fiquei intrigadíssima sobre a existência de uma sequência. Já estava embelezando minha bookshelf fazia um tempinho, então decidi que esse seria um bom momento pra voltar a ler sobre a Lou e para ter alguns flashbacks tristes do primeiro livro.
2 - Us, David Nicholls: comprei esse livro super no impulso por uma série de razões (promoção, em inglês, capa dura, autor legal) mas sinto que não vou me arrepender. É a história de um casal que está se divorciando, e apesar de eu não me identificar nem um pouco com essa parte da vida (casamento/separação - nem casei ainda) me interessei muito porque a história envolve viagens e uma ideia bacana de segundas chances. Ainda não sei de muita coisa pra falar, mas assim que ler venho aqui contar pra vocês o que eu achei no final das contas. 

Ultimamente não tenho postado com fotos próprias, porém assim que possível (quando minha irmã fizer a gentileza de trazer a câmera aqui), voltarei a fotografar meus books.
Espero que gostem do post :)

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

GRANDE MAGIA - ELIZABETH GILBERT

Oi pessoal! Mês passado fui na Livraria Saraiva e decidi comprar o livro "Grande Magia", da autora Elizabeth Gilbert (mesma autora de Comer, Rezar e Amar). Estava há meses já pesquisando preços para comprar o livro em Inglês porque nem tinha visto que ele havia sido publicado em português também, mas os preços não estavam nem um pouco acessíveis. Quando fui na Saraiva, paguei um total de 18 reais em um livro que nem eu imaginava que seria tão maravilhoso. A primeira recomendação que vi desse livro foi em um vídeo sobre non-fiction books da Carrie Fletcher (clique aqui para assistir), onde ela comenta que não se imaginava lendo livros não ficcionais até que leu o primeiro e amou. Um dos que ela mais indica é esse, e desde então eu estava louca pra ler. 

O livro é praticamente um daqueles self-help books, porém a autora tem como foco principal falar sobre como ela lida com a criatividade. É muito interessante ver como no fundo, todos nós somos extremamente parecidos. Esse é, com certeza, um daqueles livros que você vai ler e se identificar. O livro é dividido em seis partes: Coragem, Encantamento, Permissão, Persistência, Confiança e Divindade; e serve, não só pra quem deseja ser uma pessoa mais criativa ou quer lidar melhor com a criatividade, mas também para vários aspectos de nossas vidas. Fiz inúmeras marcações no livro, de partes que achei muito legais. Vou deixar algumas aqui pra vocês:

"A vida tem uma regra simples e generosa: você melhorará em tudo aquilo que praticar." (sobre Aprendizado, pag 102)

"O truque é fingir até conseguir. Em outras palavras, vista-se de acordo com o romance que quer escrever. Seduza a Grande Magia e ela sempre voltará para você, assim como um corvo se sente atraído por objetos brilhantes." (pag 115)

"Precisamos entender que a busca da perfeição é uma noviça perda de tempo, pois nada jamais estará imune a críticas. Não importa quantas horas você tenha gastado tentando deixar alguma coisa impecável, alguém sempre conseguirá encontrar uma falha." (pag 119) 

"Na maior parte do tempo, as pessoas só estão pensando em si mesmas. Não têm tempo para se preocupar com o que você está fazendo ou se está fazendo bem, porque estão absortas nos próprios dramas." (Pag 122)

Acredito que pelas citações, vocês podem ver que os ensinamentos do livro não servem apenas para quem lida com a criatividade, mas também engloba vários outros dramas diários que qualquer pessoa vive. Aí vai a descrição do livro:

O que é viver criativamente? É qualquer vida que seja mais motivada pela curiosidade do que pelo medo. Ao compartilhar histórias da própria vida, de amigos e das pessoas que sempre a inspiraram, Elizabeth Gilbert reflete sobre o que significa vida criativa. Segundo ela, ser criativo não é apenas se dedicar profissional ou exclusivamente às artes: uma vida criativa é aquela motivada pela curiosidade. Uma vida sem medo, um ato de coragem. 
A partir de uma perspectiva única, Grande Magia nos mostra como abraçar essa curiosidade e nos entregar àquilo que mais amamos. Escrever um livro, encontrar novas formas de lidar com as partes mais difíceis do trabalho, embarcar de vez em um sonho sempre adiado ou simplesmente acrescentar paixão à vida cotidiana. Com profunda empatia e generosidade, Elizabeth Gilbert oferece poderosos insights sobre a misteriosa natureza da inspiração.

Espero que gostem da indicação. Por causa desse livro, já adicionei vários outros livros do mesmo estilo na minha listinha. Alguém aí tem algum pra me indicar? :)

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

PASSENGERS (2016)

Hello guysss! Semana passada fui ao cinema com minha amiga (e xará) Luiza. Decidimos assistir o novo filme da Jennifer Lawrence e do Chris Pratt, Passageiros, e com certeza absoluta não nos arrependemos. O filme se passa em uma nave espacial que está a caminho de um novo planeta, levando centenas de humanos em estado de hibernação. Porém por conta de problemas nas cápsulas de hibernação, Jim (Chris Pratt) e Aurora (Jennifer Lawrence) acabam acordando 90 anos antes do previsto, o que acaba com as chances deles chegarem vivos no novo planeta. 
O filme acaba se tornando um romance no espaço, e nos deixou com os olhos presos na tela até o final. Deixo aqui pra vocês a sinopse e o trailer. É um ótimo filme para quem adora filmes que se passam no espaço, romance e a Jennifer Lawrence (eu me encaixo em todos esses itens). Confesso que em algumas partes achei os acontecimentos um tanto quanto forçados, mas já que não estou nem perto de entender acontecimentos astronômicos, deixo essa parte para os críticos. Espero que gostem:

"Jim e Aurora são dois passageiros a bordo de uma nave espacial durante a longa viagem para um distante planeta colonizado noutra galáxia, quando uma avaria na cápsula de hibernação os desperta 90 anos antes do previsto. Presos no interior de uma nave interestelar com robôs e andróides como única companhia, Jim e Aurora apaixonam-se, enquanto tentam desvendar o porquê de terem acordado e lidar com a notícia de que um problema ainda mais grave coloca em perigo a vida de todos a bordo."

domingo, 15 de janeiro de 2017

VACATION READS

Oi pessoal, tudo bom? Bom estar de volta. Tentando colocar menos expectativas (e pressão) no meu trabalho aqui no blog dessa vez, e vamos ver se dá certo, né? Tirei uma semaninha de férias entre o Natal e Ano Novo. Fiquei sete dias entre piscina, livros e netflix, e devo dizer que não tenho do que reclamar. Hoje vim aqui contar pra vocês um pouquinho dos livros que eu li nessas últimas semanas de 2016 e primeiras semanas de 2017. Let's go...
Finalizei a leitura desses três livros da série "too far" (Sem Limites, no Brasil) da autora Abbi Glines. Já tinha visto essa série como recomendação no goodreads várias vezes, porém nunca me animo com essas capas com pessoas reais #julgandoolivropelacapa. Decidi dar uma chance e foi uma ótima leitura para um momento de descanso. É uma leitura simples de uma história intensa. Deixo aqui pra vocês a sinopse, afinal, o ano muda, mas eu não, e eu continuo péssima em tentar resumir minhas sinopses aqui: 

"Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara. Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça. Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas."

Confesso que, apesar da leitura dos três livros terem sido ótimas, eu achei o final bem decepcionante. A autora deixou muito a desejar em relação a um desfecho de qualidade. Eu fiquei tipo 'terminou?'. E tinha terminado, tipo mesmo! A série possui um quarto livro, que me encheu de esperanças sobre um possível final alternativo, porém quando comecei a ler, vi que era apenas o primeiro livro sendo contato pela perspectiva de Rush (Rush too far). Nem me dei o trabalho de terminar de ler, mas fui no goodreads ver o que o pessoal estava falando e lá só confirmei que realmente erá só um retelling da primeira parte. 
Todos esses livros fazem parte de um conjunto de livros ainda maior chamado "Rosemary Beach". Esse conjunto possui, além desses quatro que eu citei (da série "too far") mais uns oito livros. Esses outros livros contam as histórias de outros casais, porém todos eles são parte da mesma dimensão. São os amigos de Blaire e Rush, e é muito legal porque os acontecimentos aparecem em mais de um livro, como se fosse um universo paralelo rsrsrs. Cheguei a ler o primeiro da série "Perfeição", e o nome é Estranha Perfeição. Não fiquei tão vidrada como na história de Rush e Blaire, porque parecia que eu ainda estava lendo sobre eles. Foi bem difícil me desvencilhar disso, considerando que a escrita é praticamente a mesma (afinal é a mesma autora) e os personagens são muito parecidos também. 

Por último, li também o livro "New York" do cartunista Will Eisner. Meu namorado tem esse livro e eu sempre ficava babando na estante dele, então ele me deu um de Natal. Preciso dizer que é maravilhoso? O livro é dividido em várias edições de histórias em quadrinhos sobre Nova York. No início são histórias mais curtinhas, mas no final elas começam a ficar mais complexas. Foi uma leitura apaixonante. Ainda não estou acostumada a ler quadrinhos, e confesso que acho bem mais difícil, mas foi super prazeroso. O livro é lindo e as histórias são incríveis. Recomendo muito.

Espero que gostem das dicas de leitura, :)

quinta-feira, 31 de março de 2016

PICPROJECT - {MARCH}

Heeey people! Como já falei no post de ontem, Março não foi meu mês preferido, mas hoje, procurando as fotos para colocar no PicProject, percebi que muitas coisas boas aconteceram também. Março começou junto com a faculdade. Depois de um ano sem estudar, fiquei muito feliz por estar de volta. Sou meio cdf desde que me conheço por gente e estar em um ambiente acadêmico já está me fazendo muito bem. Claro que tudo fica um pouco mais cansativo, com trabalho e estudo, mas vale a pena. Vocês podem perceber que tem menos fotos no picproject desse mês do que nos dois anteriores, e isso se deve exatamente a falta de tempo para fazer coisas mais divertidinhas, etc. Mas como vocês também podem perceber, já tirei algumas fotos com minhas coleguinhas novas rsrsrs dei muita sorte de encontrar gurias tão legais logo de cara. Espero que gostem das fotinhos. Beijos e adeeeeus mês infinito! 

 ps: a terceira foto da primeira linha, são melões embalados de ovo de páscoa. Eu e minha irmã não comemos doce, então minha tia fez essa surpresinha pra gente. Hehehe. E a segunda foto da primeira coluna é a leitura maravilhosa (sqn) que tive que fazer para a aula de Linguística. 

quarta-feira, 30 de março de 2016

(2016) PLAYLIST #3

Maldito mês que finalmente tá acabando! Gente, alguém por favor me responde quantos anos se passaram só em Março?? Além de longo, esse mês não foi um dos meus melhores. Explicações dizem que é porque eu estou no meu inferno astral (30 dias antes do aniversário) e coisas do tipo, mas não sei até que ponto acredito nessas coisas. Well, acreditando ou não, as coisas realmente não estão saindo 100% como eu estava planejando, mas to tentando colocar toda a positividade que existe em mim nos meus planos e objetivos. Ah, e no blog. A playlist desse mês já tá me dando nojinho de tanto que eu já escutei, mas não dá pra por a culpa nas músicas né... Espero que vocês gostem:

segunda-feira, 28 de março de 2016

CURRENTLY WATCHING: THE 100

Após esse feriadinho que não precisava ter terminado, to aqui pra falar um pouquinho sobre uma série que tomou conta de mim nesses últimos três dias! Bastante gente já conhece, e até já tinham me indicado essa série, mas como eu to sempre correndo atrás da máquina pra assistir e ler tudo o que eu quero, não quis me comprometer com mais essa. Mas aconteceu que: entrei no netflix pra ver Grey's e fiquei curiosa demais quando vi "the 100" nos indicados pra mim. Pensei "ah, vou assistir só um episódio pra ver sobre o que é..." e resumindo: não conseguia parar. Espero que vocês gostem também!
The 100 conta a história dos humanos vivendo em uma "arca" espacial, anos após a Terra ter sido atingida por uma bomba nuclear e ter sido impossibilitada de acomodar os seres vivos. O problema principal é que essa arca está perdendo seus recursos a cada dia que passa. Logo não terá mais oxigênio o suficiente, e todos irão morrer. Na tentativa de achar uma alternativa para o problema, os líderes da Arca decidem enviar de volta a Terra 100 jovens prisioneiros que viviam na prisão da Arca, para enviarem notícias sobre as condições de vida na Terra, na tentativa de salvar o que restou da humanidade. 
Mas agora vocês imaginem... 100 jovens (antes prisioneiros, sendo assim, de alguma forma criminosos) soltos na Terra (que no momento é aparentemente de ninguém). Com certeza isso não tem nada pra dar certo. O elenco é maravilhoso; não teve um episódio o qual eu não fiquei super apreensiva e vidrada! A série foi inspirada na série de livros da autora Kass Morgan. Não tenho a intenção de ler, mas já ouvi ótimos comentários sobre os livros dela. Já terminei a primeira temporada (que está disponível no Netflix) e mal vejo a hora de começar a segunda. Deixo um videozinho aqui embaixo pra vocês entenderem melhor como funcionam as coisas nessa série.

terça-feira, 22 de março de 2016

REVIEW: BEFORE BY ANNA TODD

Finalmente terminei de ler Before, da Anna Todd. Como já falei aqui no blog, passei Fevereiro lendo a série After, um livro depois do outro sem descanso, e também já comentei aqui do que se trata né? Então não vou falar muito sobre isso, mas vim explicar pra vocês um pouquinho sobre o livro "Before" que é sim completamente relacionado com "After" (acho que é meio óbvio né, rs). Demorei uns vinte dias pra ler, mas não foi por falta de vontade e sim por falta de tempo. Esse mês comecei a faculdade, então ainda não estava adaptada o bastante ao meu schedule novo, e também porque eu estava num conflito sobre terminar o livro ou não: sabe quando você lê uma série por bastante tempo e com um certo nível de intensidade e depois não sabe o que vai fazer da vida quando não tiver mais livros dessa série pra ler?? POIS É, essa sou eu no momento. 

Before, é nada mais nada menos do que After, contado pela perspectiva de Hardin. Essa é mais ou menos a explicação que eu teria dado antes de ler, mas agora posso ir um pouco mais além com vocês sobre isso, porque não é bem assim. Primeiramente, o livro é contado sim pela perspectiva de Hardin, mas não é a história inteira de After. Ele conta apenas momentos mais marcantes da história, e é realmente diferente (no mínimo bizarro) enxergar as coisas de outro ponto de vista (aproveito pra dizer que isso serve muito pra vida também, rs). Como se isso já não fosse interessante o bastante, a autora fez o livro dividido em três partes: a parte do meio é apenas Hardin contando os momentos dele e de Tessa, mas a primeira e a última são contadas por outros personagens. Na primeira parte temos personagens como Molly e Nathalie contando um pouco de suas vidas antes de conhecerem Hardin, e na última parte temos, por exemplo Landon falando de sua vida em NYC (o que seria depois de toda a história de #Hessa). Gostei principalmente da primeira parte, muito interessante conhecer o background de outros personagens para poder entender melhor a personalidade de cada um.

Dei 4/5 estrelas pro livro. É muito bom e eu gostei, mas eu sou muito exigente pra dar 5 estrelas assim fácil, ah, e vai ter post sobre critérios de avaliação qualquer dia desses!
Espero que tenham gostado da pequena review sobre Before. 

quarta-feira, 16 de março de 2016

READING SLUMP!

Por maior amor que se tenha por leitura, às vezes dá aquela desanimada, né? Acho que qualquer pessoa que gosta de ler com certa frequência sente isso em algum momento da leitura. Em inglês, existe um nome pra isso: READING SLUMP! Em tradução livre, podemos dizer que significa "crise de leitura", o que não deixa de ser uma crise mesmo. Tive esse problema com vários livros que li, às vezes porque não estava gostando muito da história, ou porque eram muito extensos, ou simplesmente porque não estava na mood pra ler freneticamente. No post de hoje vou contar pra vocês o que eu costumo fazer para me livrar dessas reading slumps que acontecem now and then. 

1 - GIVE YOURSELF A BREAK: às vezes essa crise acontece porque você está se forçando a ler algo que não está gostando tanto assim. Se dê um tempo, leia outra coisa por uma semana, depois tente novamente. Você pode começar a entender a história melhor e até a enxergar as coisas com uma nova perspectiva. O pobre do livro não tem culpa se você está meio sem paciência pro gênero ou para os personagens dele. (Eu quando li A Herdeira da Kiera Cass) 

2 - SET A GOAL: às vezes o que atrapalha um pouco é ficar MUITO tempo sem pegar o livro pra ler. E quanto mais tempo você fica longe dele, menos você quer voltar, porque aí já não lembra mais o que estava acontecendo e começa a inventar desculpas tipo "mas em uma tarde eu pego e leio tudo" ou "vou começar a ler de novo". Sejamos honestos, isso não vai acontecer! Então faça um acordo com você mesmo: vou ler 50 páginas por dias, 3 capítulos, etc. É uma boa ideia pra não perder o ritmo. 

3 - MOTIVATION IS CONTAGIOUS: eu amo essa frase porque ela é extremamente real! Quando alguém é motivado a fazer algo, você pode e com certeza vai ser contagiado por tanta paixão e motivação. Eu vivo incentivando as pessoas a lerem mais e às vezes acho que elas acabam seguindo a dica por conta do entusiasmo que eu demonstro. Quando você está numa crise de leitura, procure na internet por vídeos de pessoas falando sobre livros, blogs literários, bookstagrams, etc. São infinitas possibilidades, você não necessariamente precisa ter um amigo que gosta de ler pra motivar você, na internet tem milhares de pessoas que compartilham desse hobby. Aliás, fiz meu bookstagram não só pra postar fotos dos meus livros (o que eu nem faço com tanta frequência) e sim mais pra ficar vendo as fotos das outras pessoas. Fikdik. 

Acredito ter falado dos 3 itens que considero mais importante quando vivo uma dessas reading slumps. Espero que vocês tenham gostado/se identificado. Beijos!